Amanhecer em panorâmica imersiva aérea no Arpoador – Jan 2015

Essa é mais uma aérea e mais uma vez no Arpoador, esse lugar que provavelmente ainda vai render outras fotos no futuro. Já fiz outros dois artigos com fotos panorâmicas no lugar, um com uma aérea no fim do dia e outro com uma foto no alvorecer, usando um mastro. Neste último contei a interessante história de como ali foi o primeiro local no Brasil onde se usou um biquíni. Na verdade não ali no local da foto, que em geral é feita da pedra do Arpoador, mas da praia do Arpoador, que são os primeiros 500 metros da praia que segue para Ipanema e depois Leblon.

Essa aérea complementa a beleza da primeira que fiz ali, ficando agora uma no amanhecer e outra no crepúsculo. Certamente há dias de céu mais bonito por ali, o tempo estava um pouco fechado e não deu aquele rosa que incrementa as cores, mas cá entre nós, ainda é de uma magia estonteante. Não se pode negar que essa cidade é realmente maravilhosa e bonita por natureza.

Panorâmica aérea no Arpoador

Panorâmica aérea 360° no Arpoador

Ficha Técnica:

Abraços, Cartola!

 

Aplicativos de Celulares para Panorâmicas Imersivas 360×180°

Oi pessoal,

já faz algum tempo que tenho usado o aplicativo Google Camera no meu celular, um Samsung Galaxy S3 (i9300) adquirido em 2013. Ele hoje está com um sistema alternativo, chamado Cyanogenmod, que me permitiu rodar o Android 4.4.4 (Kit Kat) e com isso melhorar um pouco o desempenho e permitir o uso de alguns aplicativos mais modernos, como este que vou mostrar aqui. Digo isso pois talvez o aplicativo em outros aparelhos, ou mesmo neste aparelho com um sistema mais antigo, não seja compatível ou não tenha todas as funcionalidades que vou comentar, notadamente a capacidade de fazer uma Foto Esférica (Photo sphere).

Outro aplicativo equivalente nos dispositivos iCoisas é chamado simplesmente de Photo Sphere (veja artigo no Jornal O Globo). O aplicativo é da própria Google, mas até onde sei (não tenho um iCoisa) tem funcionalidades limitadas se comparado com o Google Camera do Android. Na única vez que o utilizei num iPhone ele só tinha as fotos esféricas, que é o mais legal alias.

O primeiro passo é instalar, o que assumo aqui que vocês já sabem. Quem ainda não reparou, nos dois parágrafos acima estão os links sobre os nomes dos aplicativos, mas é bem fácil também procurar pelos nomes direto nas “lojas” dos seus portáteis. No Android o ícone dele instalado é um robozinho verde, como mostrado na figura 1. Esse é, alias, o símbolo do Android.

Ícone do aplicativo

Figura 1: Ícone do aplicativo

A carona inicial do aplicativo, mostrada quando entramos nele, é mais ou menos como mostrado na figura 2, abaixo, podendo variar talvez entre dispositivos.

Tela inicial ao abrir

Figura 2: Tela inicial ao abrir

Arrastando o canto esquerdo da tela pro meio a gente abre as opções de modo de funcionamento: Photo Sphere, Panorama, Efeito foco, Câmera e Vídeo, como mostrado na figura 3. Por padrão ele entra na Câmera na primeira vez que usamos.

Seleção dos modos de operação

Figura 3: Seleção dos modos de operação

Clicando sobre um deles partimos para fazer a foto ou vídeo, de acordo com o modo escolhido.

Câmera e Vídeo

A “Câmera” e “Vídeo” são os tradicionais. Enquadramos e clicamos pra tirar uma foto ou iniciar um vídeo. Os três pontinhos abaixo à direita, ainda sobre a cena (vide figura 2), abrem opções para trocar de câmera (traseira pela dianteira e vice versa), escolher o modo do flash, etc (figura 4).

Opções da Câmera

Figura 4: Opções da Câmera

Podemos ainda clicar em qualquer ponto da cena para que ele faça o foco naquele trecho. Isso é mostrado pelo círculo que indica o foco quando clicamos. Na figura 5, por exemplo, selecionei pra fazer o foco sobre o teclado do telefone na cena.

Círculo de foco deslocado

Figura 5: Círculo de foco deslocado

Photo Sphere

A função que motivou esse artigo é a Photo Sphere. Selecionando-a (a figura 3 mostra a seleção de modos) o aparelho te mostra uma pequena tela com a cena enquadrada e uma bolinha branca que vai ficar azul quando você colocar o celular de pé pra que ela fique no meio da cena.

Foto esférica com bola branca orientadora

Figura 6: Foto esférica com bola branca orientadora

O aparelho vai fazer todas as fotos sozinho, basta que você o gire encaixando as bolinhas brancas, que vão aparecendo com o giro e ficando azuis, no círculo vazado central. Veja na figura 7 como a bola fica azul ao se aproximar do centro do círculo.

Bola azul

Figura 7: Bola azul

Dica importantíssima: o ideal, principalmente em cenas com linhas geométricas (paredes, ruas, muros, postes, janelas, arquitetura, etc), é girar em torno do eixo que passa pela lente do celular. Pra mais detalhes vejam esse outro artigo que inclui uma dica de como usar um prumo (philopod) para fazer o giro. Isso pode também ser entendido da seguinte forma: gire o celular em torno dele mesmo e não em torno de você. Tome, por exemplo, um ponto de referência no chão sobre o qual ele deve permanecer.

A qualquer momento você pode cancelar o processo clicando no X lá embaixo à direita (figura 8).

Photo Sphere: tirando as fotos

Figura 8: Photo Sphere: tirando as fotos

Pode finalizar a panorâmica, mesmo parcial, clicando no “check”, lá embaixo no centro. Finalizando o aparelho vai tratar, cortar e finalizar a panorâmica. Enquanto isso ele volta pra tela pra fazer uma nova panorâmica. Arrastando a tela pelo canto direito em direção ao centro, você entra na galeria de fotos, como a mostrada na figura 9.

Galeria de fotos do app

Figura 9: Galeria de fotos do app

Se fizer isso assim que acabar de fotografar uma Photo Sphere, ela provavelmente ainda estará sendo processada e é preciso esperar acabar para poder vê-la. Quado o processamento terminar vai aparecer um botão pra você visualizá-la como uma foto esférica. Esse botão é o segundo lá embaixo mostrado na figura 9. Clicando nesse botão você poderá “imergir” na foto olhando pra cena como se estivesse lá. Arrastando com o dedo você escolhe pra onde olhar e pode aproximar ou afastar (zoom) usando os dois dedos.

Adicionalmente, quando estiver girando, vai aparecer lá embaixo no canto esquerdo (se seu modelo de telefone tiver giroscópio – e nem todos tem) uma setinha dupla inclinada, tipo a agulha de uma bússola, como mostrado na figura 10.

Agulha do giroscópio canto inferior esquerdo

Figura 10: Agulha do giroscópio canto inferior esquerdo

Clicando nessa agulha você vai navegar pela foto apenas girando seu telefone no espaço, sem tocar em nada! É muito legal!

Esse tipo de recurso é muito bom também para aumentar o ângulo de visão da lente do celular. Veja as fotos abaixo, por exemplo. A primeira é uma foto simples, com o ângulo da lente do aparelho. A segunda foi feita com a Google Camera, juntando várias fotos. De quebra o aparelho ainda nivelou a foto, deixando os prédios corretamente na vertical. As cores acabam mudando também, pois ele trata as fotos para que as junções não apareçam.

foto_fov_normal

Figura 11: Foto com câmera comum – FOV da lente

Foto com Photo Sphere parcial - FOV aumentado

Figura 12: Foto com Photo Sphere parcial – FOV aumentado

Se você seguir com as fotos até preencher toda a esfera visual o aplicativo encerra sozinho a panorâmica e inicia o tratamento. Novamente é preciso arrastar a tela da direita pra esquerda a partir do canto direito para ir à galeria. Se seu telefone estiver sincronizando suas fotos com sua conta no Google, então ela vai ser também automaticamente enviada e ficará disponível pra navegação como foto esférica online em qualquer navegador. A foto abaixo, por exemplo, pode ser navegada de qualquer lugar. Experimente, clique nela!

Panorâmica esférica da Catedral de São Sebastião no RJ

Figura 13: Panorâmica esférica da Catedral de São Sebastião no RJ

Panorâmicas

Outro modo de operação da câmera, que na prática não costumo usar, é o de panorâmicas. Não uso por que na minha opinião o de fotos esféricas, o Photo Sphere, me atende bem com panorâmicas parciais, é só terminar antes de fechar a esfera completa. De qualquer forma vamos lá, pois o sub-modo olho de peixe pode ser útil e não dá pra alcançar esse resultado na Photo Sphere.

Ao entrar nesse modo pela primeira vez, a panorâmica horizontal provavelmente será a opção padrão. Como na câmera comum, aparecerão três pontinhos para a escolha de opções (vide figura 5). Clicando ali podemos escolher entre 4 modos de panorâmicas. O primeiro modo seleciona panorâmicas horizontais. O segundo é para panorâmicas verticais e o terceiro panorâmica quadrada, que na prática vai permitir 3 linhas de fotos e 3 colunas para compor uma panorâmica e vai te entregar uma imagem retangular. O último modo, o olho de peixe (fisheye), vai permitir uma panorâmica feita com 7 x 7 fotos e vai dar um acabamento arredondado à imagem final, como é característico dessas lentes. Escolhendo ele a tela mostra bolinhas brancas, como na figura 14, indicando as direções que podem ser percorridas.

Modo panorâmicas

Figura 14: Modo panorâmicas

Os modos de panorâmica horizontal e vertical vão fazer fotos apenas no sentido correspondente e podem fazer até fechar os 360° naquele sentido. Se você quiser pode parar a qualquer momento, a exemplo do que comentei nas fotos esféricas.

Efeito de Foco

Esse efeito é interessante. Ele vai simular o desfoque de fundo que em geral só se consegue em câmeras profissionais com lentes com grandes aberturas de diafragma. Você basicamente bate a foto e ele faz o resto. Na figura 15 um exemplo de uma que fiz com o efeito. Infelizmente não fiz outra sem o efeito para comparar e já comi as bananas! :)

Efeito foco

Figura 15: Efeito foco

Espero que tenham gostado do artigo e do aplicativo e que façam bom uso do mesmo.

Abs, Cartola.

Praia Brava, Florianópolis – SC em panorâmica 360×180°

Essa foto é de janeiro de 2013 e estava junto com outras que vão ficando pra trás e um dia resgato. Essa deu sorte, rs. O dia estava bonito, algumas nuvens no céu, um tempo não muito quente e com muito vento, mas apesar de algum desconforto foi um bom passeio e é, sem dúvida, uma bela praia.

Nos meses de verão a praia recebe muitos jovens e gente bonita, atraídos pela estrutura que a praia oferece, eventos, DJs e pontos de vendas de bebidas e petiscos, além do surfe. O local é bem organizado e foi a primeira área da ilha a possuir um plano de urbanização consciente. Até a década de 1980 apenas poucos pescadores habitavam por ali, devido ao difícil acesso. Em 1990 foi finalizado o primeiro condomínio e iniciou-se a ocupação mais intensa.

Praia Brava em panorama 360°

Praia Brava em panorama 360°

Ficha Técnica:

  • Câmera: Canon 60D
  • Lente: Opteka 6.5mm
  • Tripé: não utilizado
  • Giro: 8 paradas na horizontal + 1 para baixo + 1 para cima
  • Fotos: 1 JPGs com 18 megapixels em cada tomada
  • Exif: ISO 160, WB nublado, 1/1000s, abertura desconhecida (lente manual)
  • Imagem final: 12.000 x 6.000 pixels = 72 megapixels
  • Softwares utilizados: Hugin, Enfuse, GIMPPanini, krpano tools
  • Plugin: krpano viewer

Abraços, Cartola.

Tour 360° em Dia Chuvoso no Monumento à Washington

Oi pessoal,

esse pequena visita virtual, com 3 fotos, foi feito no Monumento a Washington na cidade homônima. O nome vem do presidente George Washington, figura marcante na história do país. Possui 169,7 metros de altura e é a estrutura mais alta da cidade.Foi dedicado em 21 de fevereiro de 1885 e permaneceu como a mais alta estrutura construída pelo homem, até 1889, quando a Torre Eiffel foi inaugurada. Mais detalhes no site oficial do monumento.

A primeira panorâmica esférica do tour é denominada “Flying Willy”, em homenagem ao seu criador, Willy Kaemena, quem pela primeira vez publicou uma foto assim: aparentemente aérea, mas feita de um ponto alto. Depois de fazer as fotos laterais através de pequenas janelas no topo do monumento, juntei essas com outra foto que fiz do céu e preenchi a parte de baixo (nadir) com uma foto do google maps.

Monumento a Washington

Monumento a Washington em 360°

Ficha Técnica:

Essa é minha primeira Flying Willy de verdade. A anterior, que não considero muito como sendo do mesmo tipo, foi feita num barco e não passou a sensação de foto aérea como essa aqui, que faz jus ao nome. A vista nadir, como já disse acima, foi obtida no google maps, mas basicamente apenas o trecho do monumento e pequena parte do gramado até as primeiras trilhas de pedestres. O céu foi completado com o céu da foto que fiz quando saímos do monumento, já um pouco mais afastado dele. A qualidade fotográfica deixou muito a desejar, tanto pelos problemas de visibilidade devido ao mau tempo, quanto do vidro molhado, que atrapalhou bastante, reflexos do vidro e possivelmente alguns vacilos que dei, até por que não foram fotos feitas de forma tão concentrada, já que tinha que dividir a atenção com a família e fazer a visita também.

Abraços, Cartola

 

Alvorecer no Arpoador, Praia na qual o Biquini Estreou no Brasil

Oi pessoal,

olha que curiosidade legal. Segundo o artigo sobre o Arpoador na Wikipedia, não foi só a Garota de Ipanema que balançou as estruturas do bairro. Ali, no Arpoador, praia de 500 metros de extensão, que fica entre Ipanema e a Praia do Diabo, foi onde a alemã radicada no Brasil Miriam Etz estreou, em 1948, o uso do biquini em terras tupiniquins!

O Arpoador é conhecido por este nome por que ali, no passado, era possível arpoar baleias.

Alvorecer no Arpoador em 360°

Alvorecer no Arpoador em 360°

O nascer do sol ali, como seria de se esperar, é bem mais tranquilo do que o pôr do sol. Há talvez até mais pessoas do que o esperado, talvez por que fosse sábado. Algumas camisinhas pelo chão mostram o que leva alguns a ainda estarem por ali pela manhã, depois das noites cariocas. Os poucos presentes prestam suas homenagens ao astro rei, cada um à sua maneira. Rola um certo clima de paz e magia no ar, mesmo pros mais céticos como eu.

Ficha Técnica:

Abraços, Cartola

Times Square em Tour Virtual 360°

Além dos letreiros exuberantes, luzes pra todos os lados, pessoas pra todos os lados, agora segue também uma foto de um Tiranossauro Rex (T-Rex) dentro da maior loja de brinquedos do mundo, que fica bem ali na Times Square. Finalmente acabei de preparar as 5 fotos que fazem parte desse tour virtual e espero que se sintam lá, na esquina mais famosa do mundo, nesse ponto turístico visitado por quase 40 milhões de pessoas por ano, um dos metros quadrados mais caros do planeta. Quem quiser ler mais sobre o local pode dar uma olhada nos outros posts que fiz do lugar. As fotos estão todas nesse tour final, mas mantive os posts:

Tour 360 na Times Square

Tour 360° na Times Square

Ficha Técnica:

Abraços, Cartola

Museu Bicentenário em Fotos 360°, Buenos Aires 2014

O panfleto que se recebe na entrada já indica: “Uma incrível viagem por 200 anos de história argentina”. Inaugurado em maio de 2011 como um marco nos festejos do bicentenário da independência da Argentina. O museu foi montado no local onde se localizava o Forte de Buenos Aires no século XVIII. Ele está hoje logo atrás da Casa Rosada, sede do governo argentino. Na época em que era um forte ali era a beira do rio e sua localização era, portanto, estratégica.

O Museu guarda ainda paredes das construções originais do forte, encontradas durante escavações no aterro que foi criado para deslocar o rio, hoje um pouco mais distante do local, na área conhecida como Puerto Madero. Cheio de itens de grande valor histórico, antiguidades diversas que nos levam por anos de história do país, em contraste com a alta tecnologia em painéis interativos, onde podemos aprender um pouco mais sobre a cultura de nuestros hermanos.

Museu Bicentenário em 360°

Museu Bicentenário em 360°

Ficha Técnica:

Abraços, Cartola